https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

O Bêbado

 
Open in new window
O bêbado

Com um passo lento atrás de outro,
Oscilante e torto
Era um homem cheio de desgosto,
Estagnado e quase morto
Foi um ultimo trago,
Que com gosto de desencanto
Mostrava, entretanto
Sua face seca de um velho porto,
Esgarçada
E falida como um roto manto.

Um passo atrás de outro,
Não concebia mais o rumo
Esfarrapado, um vivo morto. A tua casa era o mundo todo,
Desconectado e sem prumo,
Nesta quase morte descabida
Na ardente bebida, descaminhos e tormento.
Virulento veneno.

Com um baque surdo despencou no terreno
Como um galho seco e sem raiz
Era um desengonçado e estranho desenho
Morreu sem um gemido, ali naquele terreno.
Inexistente e infeliz.

Alexandre


 
Autor
montalvan
Autor
 
Texto
Data
Leituras
357
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
0
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.