https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Fora de horas

 
Houve em tempos
Um tempo
Travesso
Que por querer
De si mesmo
Se escondia

Era vê-lo a escapar
Pelos becos
Dos ponteiros
Matreiros
Em fintas
Infinitas
Às horas
Perdidas

Corria em segundos
Saltava de minutos a semanas
Por vezes até voava
Sobre os anos

Há dias encontrei-o
Escondido
Entre as nove
E as dez
Disse-me estar perdido...

Mas eu cá desconfio
Que o magano
Anda à espreita
Que haja uma avaria
E a máquina
Se ponha a andar ao para trás!


*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca

 
Autor
cleo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
794
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
4
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Alessa
Publicado: 27/11/2013 02:04  Atualizado: 27/11/2013 02:04
Da casa!
Usuário desde: 20/09/2012
Localidade: Parnaíba/PI
Mensagens: 477
 Re: Fora de horas
Boa noite cara Cleo!

Belíssimo poema!
"E de tempos em tempos o tempo se esconde no tempo.
Às vezes, tempo vem lento,
Às vezes, tão rápido, que de repente já se foi, e há casos em que este não volta mais.
Mas quem sabe se esse "danado" outrora resolve voltar e por aqui ficar?!"

Rsrs

Um abraço a ti,
Alessandra



Enviado por Tópico
Sterea
Publicado: 27/11/2013 13:23  Atualizado: 27/11/2013 13:23
Colaborador
Usuário desde: 20/05/2008
Localidade: Porto
Mensagens: 3371
 Re: Fora de horas
Adoro, Cleozinha...

Adoro a "maganez" límpida do que escreves...

Beijinho.

Teresa