https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

MARIONETES DE CARNE

 

Certas marionetes de carne em fino trato,
Somos feitos de egoísmos tanto insolentes,
Mais geralmente logo após a um desastre,
Todos nos sentimos como a pior das gentes.

Sempre que chegado este período natalino,
Nos incorporamos num espírito peregrino,
Quando deveríamos ser mais acostumados,
E praticarmos esta caridade desde meninos.

Mas nunca é tarde para um arrependimento,
Nem existe barreiras para total absolvição,
Tudo a depender das praticas do elemento.

Então como Cristo sejamos desvencilhados,
Destas luxurias que norteiam nossas vidas,
Sendo assim que tratemos de nossas feridas.


Miguel Jacó

 
Autor
Migueljaco
 
Texto
Data
Leituras
551
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
4
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Robertojun
Publicado: 24/03/2014 11:26  Atualizado: 24/03/2014 11:26
Colaborador
Usuário desde: 31/01/2014
Localidade: São Paulo
Mensagens: 2188
 Re: MARIONETES DE CARNE
Bom dia, Miguel!

Parabéns pelo lindo soneto.

Obrigado pela visita e pelo comentário!

Abraço,
Roberto Jun

Enviado por Tópico
Barbozza
Publicado: 24/03/2014 14:58  Atualizado: 24/03/2014 14:58
Colaborador
Usuário desde: 24/07/2009
Localidade: Brasil - Alagoas
Mensagens: 1436
 Re: MARIONETES DE CARNE
Muito bom amigo, essas marionetes de carne tem contaminado muitos; é preciso convicção do que queremos, do contrario seremos marionetes de carne e de sofrimentos,

Abraço e boa tarde!

Enviado por Tópico
Maryjun
Publicado: 24/03/2014 16:30  Atualizado: 24/03/2014 16:30
Membro de honra
Usuário desde: 30/01/2014
Localidade: São Paulo
Mensagens: 6608
 Re: MARIONETES DE CARNE
Olá Miguel,

Um soneto belíssimo!

Parabéns,abraços fraternos.

Mary Jun

Enviado por Tópico
ângelaLugo
Publicado: 24/03/2014 18:55  Atualizado: 24/03/2014 18:55
Colaborador
Usuário desde: 04/09/2006
Localidade: São Paulo - Brasil
Mensagens: 14967
 Re: MARIONETES DE CARNE
Caro amigo poeta

Feridas tratadas, almas limpas
deve-se mesmo praticar todos os
dias, para o coração ser a nossa
melodia...

Belíssimo soneto

Beijinhos