https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

O amor que não é mais correspondido

 
Ainda sim é fogo que arde como dizem
Em que o alento de sua lenha é perdido,
E passa a viver só da força do seu ardor
O amor que não é mais correspondido.

Que busca forças não se deixando apagar
E vai queimando, ele sozinho persistente.
Que não encontra o que o mantinha aceso
E vai teimando por sua lenha inexistente.

Mas como todo fogo precisa de sua lenha
Também o amor de um ao outro se sentir,
Ninguém pode evitar que o tempo venha

E que um sem o outro conseguiria resistir
Pois sem amor não há amor que se mantenha
Que com o tempo também deixará de existir.

Referência a Luís Vaz Camões
 
Autor
LucasWillian
 
Texto
Data
Leituras
298
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.