https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Caligrafando Dallavecchia

 
Tags:  amor    vida    morte    sonhos    estrelas    luso-poemas  
 
..

Open in new window


Caligrafando Dallavecchia


Um dia
vi a minha morte
podia ser o título
de uma poesia
mas era tão horrível
que chamar-lhe
rodapé de cinzas
seria um elogio

Nesses dias sombrios
vi também, o meu cadáver
mais de cinquenta anos
de ossadas enterradas
num cemitério de sonhos
mas ainda
estou aqui
- é a minha vida!

e...

porque acreditei e acredito
no milagre
tu surgiste e és
a profecia anunciada
no dia em que eu nasci
Amo-te
até que um outro dia
até que uma outra hora
a minha morte liquide todos
os movimentos
e eu abandonado
ao vazio do meu corpo morto
preencha o espaço
(desconhecido?)
dentro do mundo
onde buscarei desesperadamente...
o interior do teu olhar
e então
pela primeira vez deitado
no teu vestido feito de estrelas
a luz da tua divina criação
escreverá nas galáxias
o nome que adoptei
para que
o meu e o teu lado
sejam eternamente
o universo
brindado
no big-bang
do teu ser amado.


Luiz Sommerville Junior(por dupla consoante e dupla vogal recuperado), 23082014,19:59



Obrigado, amor!





Luis Sommerville Junior, Antologia , 1964-2014

Fonte : Barquinho de Letras

 
Autor
sommerville
 
Texto
Data
Leituras
1367
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
49 pontos
13
6
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Manufernandes
Publicado: 24/08/2014 18:45  Atualizado: 24/08/2014 18:45
Subscritor
Usuário desde: 09/12/2013
Localidade: Lisboa
Mensagens: 3860
 Re: Caligrafando Dallavecchia
Companheiro Sommerville
Este é, para mim, talvez até
pelo momento, pela espectacular música
um dos poemas mais bonitos que já li
algures.
Desde o cemitério de sonhos, passando
pela "passagem" até ao vestido.
Palavras simples sequência compreensível
e plenas de sentimentos. A música, perfeita
no tempo e compasso exponenciam a cada linha
a beleza da escrita.
Como disse, talvez o momento, mas emocionei-me.
Não dou os parabéns, seria insuficiente!
Obrigado Luiz!
Abraço
Manuel


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 24/08/2014 19:06  Atualizado: 24/08/2014 19:06
 Re: Caligrafando Dallavecchia
Eu estava parada, espreitando da porta do quarto quando te vi na sala, com o seu caderno de capa verde, fazendo anotações. Fiquei curiosa, mas não perguntei nada, voltei ao quarto. Quando vc se afastou, fui ler o que estava no caderno e achei tão belo, tão intenso... No entanto, a noite chegou e com ela algum humor estranho e sombrio te acompanhava, no qual te fez rasgar a página e jogar ao lixo o papel. Fiquei estupefata, mas não disse nada, apenas resgatei tão belas palavras afogadas num amargor qualquer...E cá estão as letras brilhantes, tão douradas e azuis como um lindo conto de amor, bordado pelas tuas sensíveis mãos numa saia cheia de estrelas onde você sempre terá um lugar para descansar a cabeça.
Parabéns, meu querido, por tão lindo poema! Um dos mais belos que já li teu, um dos que mais gostei de ler.
Te amo muito!


Enviado por Tópico
acasado
Publicado: 24/08/2014 20:19  Atualizado: 24/08/2014 20:19
Super Participativo
Usuário desde: 17/08/2014
Localidade:
Mensagens: 123
 Re: Caligrafando Dallavecchia
Ola
Que saudades estar aqui. Sim, este poema é magnífico. Claro que de si não esperava menos. É por estes textos que vale a pena vir aqui. Pena a qualidade andar tão arredada. Falo em qualidade, não em ideologia. Mas pronto. Adorei o seu poema.
"Rodapé de cinzas
Seria uma elogio"

"Parqa que o meu e o tue lado
Sejam eternamente
O Universo"
Adorei.

António Casado

Enviado por Tópico
Manufernandes
Publicado: 24/08/2014 20:42  Atualizado: 24/08/2014 20:42
Subscritor
Usuário desde: 09/12/2013
Localidade: Lisboa
Mensagens: 3860
 Re: Caligrafando Dallavecchia
Só para dizer que já li e ouvi diversas vezes
e, quanto mais...mais gosto!
Divino!

Enviado por Tópico
RoqueSilveira
Publicado: 24/08/2014 20:51  Atualizado: 24/08/2014 20:51
Colaborador
Usuário desde: 31/03/2008
Localidade: Braga
Mensagens: 8226
 Re: Caligrafando Dallavecchia
Faz bem ler poemas de amor feliz; fico feliz também.
Belo poema, sim.
Bjo

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 24/08/2014 23:43  Atualizado: 24/08/2014 23:43
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29310
 Re: Caligrafando Dallavecchia
Sonhos que não morrem, pois eles existem, temos que acreditar no sonhar, ele alimenta o nosso ser. No universo dos olhos o desconhecido do olhar nos deirecionam para as estrelas em constelação onde o céu é mistico dos sentimentos que se amam em paixão.

uma maravilha de poema

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 25/08/2014 00:08  Atualizado: 25/08/2014 00:08
 Re: Caligrafando Dallavecchia
Só para não esquecer!
Obrigada por adotar meu nome de família no dia em que casamos, foi a maior prova de amor e de cavalheirismo que você poderia me dar. É sempre uma honra dividir com você a vida, os momentos e os nomes. Obrigada, meu querido poeta, meu Jorge Dallavecchia.
te amo muittoooo!!!

Enviado por Tópico
Manufernandes
Publicado: 25/08/2014 01:48  Atualizado: 25/08/2014 01:48
Subscritor
Usuário desde: 09/12/2013
Localidade: Lisboa
Mensagens: 3860
 Re: Caligrafando Dallavecchia
Jorge
o seu poema, maravilhoso, ficou ainda mais emotivo
com o que se lhe seguiu. Mais lindo...impossível!
Vi que vc está no Rio, cidade que conheço, amo,
e na qual deixei os melhores momentos da minha vida
Desejo que vocês o sejam mil vezes mais. Têm tudo
para isso!
Agora sim, dou-lhe os mais sinceros
parabéns!
Seu amigo
Manuel Fernandes
Caminha- Viana do Castelo

Enviado por Tópico
saraabreu
Publicado: 25/08/2014 19:32  Atualizado: 25/08/2014 19:32
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2014
Localidade:
Mensagens: 2423
 Re: Caligrafando Dallavecchia
A vida é feita de momentos bons e momentos menos bons Sommer, por vezes é necessário o ser ter capacidade para ultrapassar os menos bons e como nada é eterno ultrapassou com certeza os menos bons e que o diga o fim do seu poema.

Um trecho emotivo, complexo e muito bem conseguido poeta onde se consegue "criar" imagens espetaculares a partir dos seus versos.

Vale a pena realçar estes versos se me permite:


"Nesses dias sombrios
vi também, o meu cadáver
mais de cinquenta anos
de ossadas enterradas
num cemitério de sonhos
mas ainda
estou aqui
- é a minha vida!"

Muito grata pelo seu carinho na minha página também Sommer.

bj

Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 26/08/2014 04:28  Atualizado: 26/08/2014 04:28
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: Caligrafando Dallavecchia
difícil falar da beleza... bjs duplos!

Enviado por Tópico
MaryFioratti
Publicado: 26/08/2014 11:58  Atualizado: 26/08/2014 11:58
Colaborador
Usuário desde: 09/02/2014
Localidade:
Mensagens: 2400
 Re: Caligrafando Dallavecchia
Nossa meu amigo! O que posso dizer dessa poesia?
Simplesmente envolvente, maravilhosa, daquelas que
vai no amago!
Que beleza de sentimento voce expos nessa poesia.
Emocionante!
E gosto demais de suas ilustracoes e musica!

Perfeito!

Beijos
*Mary Fioratti*