https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

taras

 
negrume incolúme das sanhas minhas,
adentro o ventre místco em pardieiro.
sou chulo.puritano no que convinhas.
na língua aplavra têmpera,embusteiro.



eis que não calço pelica,minhas mãos sujo.
na compleição do ser já rôto,cabisbaixo,
neste dantesco cenário ao que subjugo.
a dama;tão límpida consorte ,a rebaixo.



pois que envereda tua sinapor descuído,
ou tão dolemente que verte a dor,pelo gozo imbuído.
será eu o agente que a ti obrigue,

em ser senhora do ignóbil acinte.



POUCO SEI DA ARTE DA ESCRITA POREM DO NADA QUE LEIO DO MUITO QUE VEJO E DAQUILO QUE NAO ENTENDO SOMENTE APRECIO A UNICA CERTEZA AMO POESIA

 
Autor
daywyston
Autor
 
Texto
Data
Leituras
440
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 05/11/2014 13:18  Atualizado: 05/11/2014 13:18
 Re: taras
Suas palavras mostra uma tristeza que me parece vir de um longo tempo,como se você estivesse mostrando um coração muito apertado.
Achei bem bacana sua assinatura:

«POUCO SEI DA ARTE DA ESCRITA POREM DO NADA QUE LEIO DO MUITO QUE VEJO E DAQUILO QUE NAO ENTENDO SOMENTE APRECIO A UNICA CERTEZA AMO POESIA»


Fonte: http://www.luso-poemas.net/modules/ne ... ryid=277685#ixzz3ICPFoFdJ
Boa quarta-feira e continue escrevendo, cada pessoa tem seu jeito de interagir.