https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

devaneios

 
o meu sangue escorre por pulsos remidos,

no pecado indulgente do ser praticado.

volver o ato deste sangue escorrido,

escarlate amor abençaoado de cristo,


e na dor que deveras desejo ,relato.

esquecer o passado que ora receio,

de mea culpa de todo o mal que semeio.

pois que eu de meu proprio inferno escapo,


devaneias a minh"alma em purgatorio.

bucefalos que sussurram roucos aos ouvidos,

dos fantasmas credulos seus gentis gemidos.

hoje deixo derramado meu adeus simplorio.


morre o espirito a alma delira.

sera que por fim almejada paz encontro,

pois que a dor entorpece o resto de vida.

vivi entre restos ,rostos . de teus escombros



POUCO SEI DA ARTE DA ESCRITA POREM DO NADA QUE LEIO DO MUITO QUE VEJO E DAQUILO QUE NAO ENTENDO SOMENTE APRECIO A UNICA CERTEZA AMO POESIA

 
Autor
daywyston
Autor
 
Texto
Data
Leituras
539
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
8 pontos
0
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.