https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

O MAR TRANQÜILO.

 

O mar tranqüilo e suas ondas a marulharem,
Brisa serena com gaivotas em seus rasantes,
Foi quando a vida começou a modificar-se,
Um novo ser apareceu ali naquele instante.

Mulher esbelta pele morena cabelos cacheados,
De calças compridas amarrotada tanto rasgada,
E um atrevimento que a denotava depravada,
Arrancou a blusa exibiu os peitos bronzeados.

Me desfiz da camisa respirei fundo olhei fiel,
Dei uma piscada convidando-a para meu colo,
Ela rebolou dirigiu-se a mim dizendo te adoro

Trançou suas pernas enlaçando a minha cintura,
Senti nossos sexos encaixando-se um no outro,
Tivemos um orgasmo redundante em ternura.



Enviado por Miguel Jacó em 08/08/2014
Reeditado em 10/08/2014
Código do texto: T4914347
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Miguel Jacó

 
Autor
Migueljaco
 
Texto
Data
Leituras
500
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
2
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Lumarillac
Publicado: 22/12/2014 12:31  Atualizado: 22/12/2014 12:31
Da casa!
Usuário desde: 13/07/2014
Localidade: São Paulo
Mensagens: 241
 Re: O MAR TRANQÜILO.
Belo soneto expressivo,bom dia poeta!

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 23/12/2014 08:26  Atualizado: 23/12/2014 08:26
 Re: O MAR TRANQÜILO.
Muito bom meu caro, show, parabéns