https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

rotina

 
Tags:  homem    escravo    trabalhador  
 
Na cidade e tudo frio
Do rosto apatico ao estomago vazio
A iris palida e coberta pela palpebra abatida de sono
E os homens vao caindo como as folhas secas no outono
No onibus lotado habita um ar de luto
Com uma viagem de silencio ao inves de 1 minuto
Ninguem se conhece ninguem se olha
Lagrimas caem secas no rosto aflito que nem se molha
Preso na rotina sao varios mortos vivos
Sem sentimento trancado no pelos grilhoes do patrao com olhar nocivo
O sol se poe pois a frieza humana ja chegou ao cumulo
E o navio negreiro ( onibus ) leva os mortos vivos de volta aos seus tumulos

 
Autor
vandin99
Autor
 
Texto
Data
Leituras
437
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
0
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.