https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Quando te Vais

 
Me dói a fundo porque te vais
Mesmo que te vás pra cedo regressar
Mas isto minha alma não compreende
E paira, sozinha, sob os impenetráveis
Segredos celestes

E eu nem sei o que é isto que eu sinto
Eu nem sei se este amor é tão saudável assim
Sinto-me esmagado sob um milhar de turbilhões
E ontem à noite quase retorno aos braços da solidão
[Porque sabia que estarias partindo]
Mas voltarás; voltarás!
Porém isto ao meu coração pouco importa

Acordei hoje e havia só o sol
E uma imensa cidade vazia
E morreu um pouquinho a cada passo teu
O desejo de ter-lhe pra conversar
O desejo de ter-lhe ao menos por perto
Porque, sinceramente, ainda me acomete o medo

E me dá calafrios, e pensamentos confusos me aturdem
E eu me encontro jogado à sorte das distinções verbais
À sorte de amizades intolerantes e dias cinzentos
[Salvo pelos livros e a recém-admitida disciplina]
A procrastinação e as errantes e vagas ponderações
Deste-me, sem consciência, alguns dias pra pensar
Deste-me muito mais que vida, nos últimos dias
que se foram

E nem é a mim que queres - nem é a mim!
Queres a outro - peças pregadas pelo destino
Estarias, enfim, de mim utilizando pra até ele chegar?
Estarias em mim buscando um mero substituto?
Eu não quero levantar as tuas saias para que te livres da lama
Eu não quero varrer o teu chão e ser eternamente o teu submisso
Eu quero algo que podes me dar, mas crês que isto eu já possuo
Mas não possuo; nunca o possuí

Eu não quero ser o confidente
A quem desabafas todas as noites sobre outro
Nem quero amar-te sabendo que a outro poderás escolher
[Basta que ele a ti retorne, choramingando,
de rabo entre as patas]
Não, [eu não quero o drama nem as convenções sociais]
Eu quero o tu que a mim ofereceu o mais perigoso dos segredos
Eu quero o tu que me jurou proteção
Num dia em que em nome de mais ninguém tocou

Quando regressares, talvez me encontre vazio
Como estive vazio todos esses anos [salvo pela poesia]
Talvez esteja afundado num novo disco ou Tv Show
Talvez tenha pensado e repensado a vida e visto
Que nada disso foi feito pra mim
Que nada disso vai mover-se qualquer passo em qualquer direção
Que o destino me lega amor só pra que eu aprenda que amo sozinho
Que amor é só uma palavra tola sob a qual nos escondemos
E legamos a inteireza futura e presente de existir.

 
Autor
thiagopontesneto
 
Texto
Data
Leituras
560
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 13/03/2015 14:41  Atualizado: 13/03/2015 14:41
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16687
 Re: Quando te Vais
Thiago
Apreciei a leitura! Muito interessante! Beijos!
Janna

Enviado por Tópico
kripy
Publicado: 14/03/2015 00:48  Atualizado: 14/03/2015 00:48
Colaborador
Usuário desde: 26/05/2010
Localidade:
Mensagens: 3035
 Re: Quando te Vais
bonito poema,um abraço,Kripy.