https://www.poetris.com/
 
Fados : 

Ai, este meu faducho lisboeta

 
Ai, este meu faducho lisboeta

Ai que doce expressão tem este céu nublado
Me faz lembrar todos os mais lindos sorrisos
De tudo o que mais amo e tenho na vida

Céu nublado, a mais bela tela pintada
Com suas nuvens maravilhosas em cores
Pintado dos brancos a todos os cinzentos
Meu céu alado me faz sonhar mui longe

Me leva em viagens com tudo o que amo
Desses mares, em suas vagas a boiar
Acima e abaixo na miragem duma praia
Eu me largo completamente à toa

Estou viajando vestida de liberdade
Nessas imagens aladas do meu céu
Em suas nuvens os filmes possíveis
De imaginar me deixam em êxtase

São mistérios dos mais belos a guardar
Em meu coração com tanta admiração
Minhas nuvens se vestem de capricho
São fiapos, estilhaços de ar reprimido

Lá longe, muito alto, um risco rasga o céu
Mais abaixo numa perfusão de diferenças
Tão belas as fofas de flocos de algodão
Disputam a atenção com as pinceladas

Meu Deus, meu céu, minhas nuvens
Que me acompanham todos os dias
Sobre o rio vêem cantar um faducho
Bem trinado das mais belas orgias
De imagens aos milhares todas juntas
Um milagre da Natureza que adoro

São estas as nuvens por cima do Tejo
Ao final da tarde, que me tiram o ar
Que me deixam sôfrega de palavras
Para as descrever assim de tão belas

E dificilmente conseguirei enumerar
todas as distintas nuvens do céu
deste meu Tejo que viajam ligeiras
e com ele vão brincando a se mirar
em suas águas que as reflectem

Ó meu querido Tejo, rio do meu coração
Confesso-me apaixonada pelas tuas nuvens
E todos os finais de tarde lá estão elas
Parece que me aguardam e se estendem
Com toda a sua vaidade a me encantar

Enquanto caminho rodo a visualizar o céu
E em todo o seu horizonte elas estão lá
E sei que se tornaram minhas companheiras
Das mais felizes horas de contemplação

Já há alguns anos que vivo esta paixão
Estes encontros matreiros, que me fogem
Ao alcance, no limiar e no preciso momento
Em que o rio toca o céu a magia surge e
Em cada um de todos os dias do ano
Uma nova paixão que jamais conseguirei
Descrever completamente me arrebata feliz.

E no mistério da alma de cada lisboeta um faducho malandro se aquieta após o pôr do sol na Graça, na Madragoa e em Alfama.

Eureka


Eureka

 
Autor
Eureka
Autor
 
Texto
Data
Leituras
838
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
54 pontos
24
7
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 14/09/2015 22:05  Atualizado: 14/09/2015 22:05
 Re: Ai, este meu faducho lisboeta
Oh minha amiga, que texto maravilhoso, uma sincera declaração de amor, palavras reveladas do mistério da alma de cada lisboeta. Permita-me compartilhar desse amor, dessa paixão, desse mistério, deste sentimento que me envolve toda vez que lembro, não com a mente, mas com o coração, de cada instante, de cada pedacinho do céu, que se difunde por toda Lisboa. Parabéns por essa obra de arte..obrigado.....beijo grande!!


Enviado por Tópico
Ro_
Publicado: 14/09/2015 22:17  Atualizado: 14/09/2015 22:17
Colaborador
Usuário desde: 25/09/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 3962
 Re: Ai, este meu faducho lisboeta

Simplesmente lindo!
Eu amei ler, poetisa linda!
Um beijinho!


*-*


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 15/09/2015 15:35  Atualizado: 15/09/2015 15:35
 Re: Ai, este meu faducho lisboeta
Minha querida Eureka! esse seu poema tão saboroso
garanto que tenho vontade de ir nesse Portugal querido
e conhecer o famoso Tejo!!!!! quem sabe nessas nuvens
brancas e fofas eu vá flutuando com imensa alegria
Abraços carinhosos e fraternos


Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 15/09/2015 17:41  Atualizado: 15/09/2015 17:41
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16048
 Re: Ai, este meu faducho lisboeta
Poetisa
Quanto encantamento! Li e fiquei a imaginar!
Beijos!
Janna


Enviado por Tópico
UMA MULHER UM POEMA
Publicado: 16/09/2015 14:10  Atualizado: 16/09/2015 14:10
Colaborador
Usuário desde: 26/04/2006
Localidade: São Paulo/SP
Mensagens: 2922
 Re: Ai, este meu faducho lisboeta
Bom dia, Eureka!

Quanta beleza e encanto nesse seu versar!

Parabéns e um beijo pra ti!


Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 16/09/2015 16:37  Atualizado: 16/09/2015 16:37
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12509
 Re: Ai, este meu faducho lisboeta P/Eureka
Como gostei de ler esse lindo e honorífico texto ao nosso Tejo um dos rios mais históricos da Europa de belas margens, Tago de antiga estirpe, de grande beleza e de épocas de Tágides e ninfas referentes à mitologia no tempo das grandes descobertas, cantadas pelo grande Camões é de facto para se reter e orgulhar. O fado é a saudade de quem a sente no coração. As águas de um verde matizado, as nuvens majestosas a que as gaivotas dão o seu encanto, achei lindo o seu cantar Amiga. Beijinhos mais que merecidos ou não fosse eu outra pura lisboeta! Vólena


Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 17/09/2015 21:52  Atualizado: 17/09/2015 21:52
Colaborador
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 8696
 Re: Ai, este meu faducho lisboeta
Oh, minha querida Eureka, através de tua poesia , conheci um pouquinho da energia que permeia a linda Lisboa, que só sei por filmes, fotos, e internet...

Maravilha o teu sentimento lisboeta. Mil parabéns .

Ainda hei de conhecer essa cidade , ao vivo e a cores, se o Pai Celestial o permitir!

Beijinhos , amada!!


Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 19/09/2015 14:45  Atualizado: 19/09/2015 14:45
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9267
 Re: Ai, este meu faducho lisboeta
Bom dia Eureka, teus versos nos passam com primazia toda esta sublimação presente neste namoro contínuo do Tejo e suas águas abundantes, com as nuvens bailando lá no céu, parabéns pelo envolvente poema, eu te desejo um final de semana de muitas satisfações, um abraço, MJ.


Enviado por Tópico
Maryjun
Publicado: 19/09/2015 20:36  Atualizado: 19/09/2015 20:36
Membro de honra
Usuário desde: 30/01/2014
Localidade: São Paulo
Mensagens: 6503
 Re: Ai, este meu faducho lisboeta
Boa tarde, Euerka,

Viajei no teu belíssimo texto. Aplausos!

Beijos,
Mary Jun

Open in new window


Enviado por Tópico
martims
Publicado: 20/09/2015 11:38  Atualizado: 20/09/2015 11:46
Colaborador
Usuário desde: 12/08/2013
Localidade:
Mensagens: 6796
 Re: Ai, este meu faducho lisboeta
Aquele som vindo de lá, trazidos pelos ventos tocando em nossas faces. Silêncio labial de nossas bocas, o beijo se faz nas essências de um lindo fado que aclama o nossos corações. Olhos que se revelam naquele lindo tejo, as águas cristalinas molham o nossos desejos, corpos que se abraçam nas delicias dos leitos, nascendo o planto prazer de amar, de viver.

Um poema delicioso.. beijos linda poetisa


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 11/10/2015 15:54  Atualizado: 11/10/2015 15:54
 Re: Ai, este meu faducho lisboeta
Nossa, que delícia de se ler, é tão lindo, tão lindo, tão lindo!


Enviado por Tópico
OHM
Publicado: 17/10/2015 16:09  Atualizado: 17/10/2015 16:09
Muito Participativo
Usuário desde: 17/10/2015
Localidade:
Mensagens: 65
 Re: Ai, este meu faducho lisboeta
Por aqui em Lisboa não faltam faduchos malandros.
Foi um prazer


OHM