https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

TUA

 
Tags:  soneto poesia amor  
 
Em calma me invade tua presença
Na beleza da alma, teu sentimento
És do amor, em tão suave sentença
A condenar-me ao contentamento

Sentir-te à brisa, a cada amanhecer
No silêncio do olhar, ouvir teu grito
Que devora o peito...Tanto querer
A lançar-me as chamas...Amor aflito

Entrego-me serva a tal clausura
Rendo-me a ti. Oh! Infinita ternura!
Dou-me à morte, por tal veneno

E renasço, em teus olhos serenos
A viver em ti, pois d'amor sou tua
Que d'amor és meu, em tu'alma nua.

Rita São Paulo

 
Autor
RitaSãoPaulo
 
Texto
Data
Leituras
504
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
0
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.