https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Enterro de D. Amélia

 
Enterro de D. Amélia
 
- D. Amélia de Portugal -

Morreu! Vai a Rainha a sepultar ...
Deixai-a repousar! 'Inda agora se finou
no seu leito glacial e, já tantos, a chorar,
a desejam ir velar, aí onde se ficou!

Vai de negro como sendo hábito de gala!
Cor essa que tão cedo lhe tomou o rosto ...
Pobre D. Amélia! Mas não irá a uma vala.
Seu filho e seu marido aguardam por seu corpo!

E cai o Sol na linha do horizonte,
há jardins de goivos, tristes, desgarrados,
olhos e gentios, sem destino, abandonados!

E há cansaço, vazio e solidão
por cada canto e espaço onde passa o caixão
da Rosa d'Orleães, cujo o cheiro 'inda se sente.

Ricardo Maria Louro
Para a Rainha D. Amélia de Portugal.

Uma pessoa que marcou fortemente a história no coração dos Portugueses. A Rainha Exilada. Nasceu e morreu no exilio. A Rainha mártir. Viu morrer toda a familia de forma infame. Enterrou o marido, os dois filhos e a sogra.
Contam-se amanhã, dia 25 de Outubro de 2019, 68 anos sobre o seu falecimento. D. Amélia de Orleães e Bragança morre a 25 de Outubro de 1951 em França, no Exilio. Regressa a Portugal para ser sepultada no Real Panteão dos Bragança por desejo próprio e por decisão de Oliveira Salazar que decide também conceder-lhe honras de Estado. Uma Senhora muito especial. A minha Rainha de eleição. R.I.P. D. Amélia de Portugal.


Ser Poeta é exilio
num pais de condenados
um tormento infinito
de mil olhos rejeitados!

Ricardo Maria Louro

 
Autor
Ricky
Autor
 
Texto
Data
Leituras
847
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 25/10/2019 23:27  Atualizado: 25/10/2019 23:27
 Re: Enterro de D. Amélia
Bravo!
Um abraço