https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Sobre o que sou e para onde sempre volto

 

Arfo o peito com sofreguidão tentando alcançar a simetria,
mantenho a respiração malemolente em lenta cadência,
soergo os seios tentado uma posição procurando harmonia.

Então, busco na memória o toque dos teus lábios
quando o corpo treme já em volúpia por antecipação imaginada,
digressão emotiva na ciência que não mais lês alfarrábios.
Mas, estás em mim, tens-me com ocultos os poderes imensos
- fazes-me explodir, não mais irei lutar contra o anseio.

Submeto-me ao ardor, sabedora ser inútil qualquer freio,
espero só em poucos e furtivos momentos tensos,
liberta a paixão insistente em ser mais que reminiscência,
deixa-la explodir naquele ninho de tantos prazeres,
onde me tens devassada ...e indefesa na carne tu feres.
Para onde sempre volto mesmo quando me enxotas,
e com tua alma te regozijas distante, em plagas remotas.

 
Autor
Phalaenopsis
 
Texto
Data
Leituras
296
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
2
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Chou
Publicado: 17/04/2017 16:33  Atualizado: 17/04/2017 16:33
Colaborador
Usuário desde: 01/02/2017
Localidade:
Mensagens: 540
 Re: Sobre o que sou e para onde sempre volto
experimenta viver do lado de la...talvez seja uma grata surpresa

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 17/04/2017 16:37  Atualizado: 17/04/2017 16:37
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29909
 Re: Sobre o que sou e para onde sempre volto
Um algo que se busca nos oleias dos sentimentos que vem de encontro co os verdadeiros sentidos dos momentos, lindo poema