https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

NOVE

 
Nove
por nove breves meses
o tempo da minha gestação,
desfrutei uma paz transcendental.

Ao longo desses nove sóis
dona Teresa que me gerou e
antes de mim gerou oito e
depois de mim mais dois,
dispensou-me amor incondicional.

Fui o "nove" de uma prole
que somou onze cabeças pensantes
vibrantes algumas,murmurantes outras
todas contudo, cheias de vida
carregadas de paixão por vezes passional.

Olho hoje o mundo em volta de mim
as pessoas e
olho na cara das pessoas e
não vejo nelas a paz,o amor e
não sinto nelas pulsar a paixão.

Olho as pessoas e busco nessas pessoas
um traço ainda que pequeno
das marcas do amor e da paz e da paixão
nas quais estive por nove luas mergulhado
e não vejo e fico constrangido
e constrangido aspiro... voltar

para a barriga de dona Tereza





 
Autor
Graffiti
Autor
 
Texto
Data
Leituras
2280
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Recentes
DEZ
Aleatórios
UM
DEZ
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 31/05/2017 20:44  Atualizado: 31/05/2017 20:44
Colaborador
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 8696
 Re: NOVE / PARA GRAFFITI
Por detrás de todas as palavras, se oculta a abstrata expressão dos sentimentos. Assim, ao surgir nos versos é como se a gente materializasse um desejo, ou desse vazão a uma decepção, uma dor...
Gostei Graffiti! ...O universo lúdico que entrevi no poema é semelhante a um sonho de todos nós, ao colo materno para o afago, a proteção em determinadas circunstâncias da vida.

Parabéns pela poesia, transmitiu-me possuir um coração afetuoso!
Bjos poéticos!