https://www.poetris.com/
Poemas : 

Carta De Um Mineiro

 
Tags:  vida    reflexão    tempo    rimas    pensamentos    família  
 
Carta De Um Mineiro
 
Que dor imensurável penetra em meu peito
Parece que meu corpo está com defeito
Minhas mãos calejadas pelo trabalho o dia inteiro
Hoje me vejo frágil que não aguento meu próprio peso
Estou me tornando mais amigo do tempo
Ele me contou que a dor que sinto é apenas no momento,
Que logo, logo, estarei bem, e continuarei vivendo
Mas pobre de minha visão, sem meus óculos perco-me na escuridão
Os anos em meus ombros estão pesando
Como o ditado logo diz, " a idade acaba nos alcançando"
Agora é bem mais fácil, pois caminho cambaleando
Meus joelhos hoje estão doendo,
Mas ontem eu podia jurar que estava correndo.

Sinto meus ossos colidindo entre si, gritando
Me implorando um alívio, estão se enferrujando
As dores estão se consolidando, e lentamente me matando
Mal consigo me levantar da cadeira de balanço
Com um andado hoje desequilibrado,
Move-se o corpo desgastado pelo tempo,
Que logo será descartado, e ao solo será plantado
E de lá brotará uma linda e vivida flor,
Assim como eu fui um dia, forte, vivo, sem medo algum
Mas como sempre foi, o tempo me alcançou,
E me tornou frágil, com medo de sair do meu pequeno iglu
Mas permanece em minha mente os momentos mágicos,
Que serão sepultados juntamente a esse velhinho simpático
Partirei um pouco mais sábio.

Entristeço por meus pés nunca terem sentido as areias da praia
Minha pele nunca sentiu aquelas águas
Pudera eu ter vivido uma vida agitada,
Como dos jovens que viajam na Páscoa
Mas não me irei triste, pois o que vivi me trouxe o que de melhor existe
Infelizmente não verei os meninos de meus meninos, adultos
Porém, nos braços de meus rapazes poderei em fim repousar
E sei que eles iram me abraçar, e não há nada mais que eu possa desejar
Saberei que deixei este mundo com aquele calor,
E mesmo que eles se ponham a chorar, saberei que são lágrimas de amor
Só posso pedir a Deus que, quando eu me for, que tome conta de meus garotos, por favor.

Estou a caminho de me encontrar com a minha querida esposa,
Que conheceu o paraíso antes, e que por mim agora olha
E logo não verei mais na janela aquelas pipas, e as risadas da rua
Algumas vezes sinto que a vida é muito curta
Mas pelo menos lá no céu, minhas alianças estarão novamente juntas.

 
Autor
AteopPensador
 
Texto
Data
Leituras
196
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.