https://www.poetris.com/
Fados : 

Dor sem Rosto

 
Sou na vida um filho triste
sou um pobre solitário
sem presente nem passado
a viver neste Calvário.

No silêncio dos meus olhos
inclinados para o chão
trago medos, deixo culpas
nos caminhos da paixão.

Desde a hora em que nasci
que a minh'Alma ferida canta
que o destino me enrolou
uma corda na garganta.

Na fraqueza dos meus braços
sobre o peso desta cruz
já não rezo, só já canto,
porque eu ó Bom Jesus?!

Pela Rua da Amargura
vou sofrendo sem falar
tantas vezes minha mãe
tu me vens aconchegar!






Ser Poeta é exilio
num pais de condenados
um tormento infinito
de mil olhos rejeitados!

Ricardo Maria Louro

 
Autor
Ricky
Autor
 
Texto
Data
Leituras
153
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.