https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Canto Verde

 
Distrai a manhã cingida
Com mimos e apelos saudosos
No ar o risco que desmorona os muros
Pintura de beleza e viço.
Correntes do mar, águas salgadas
Avançando nas passagens.
Cobrem os pés dos descalços e desvalidos.
Homens de mente ruidosa,
Cometem fiscos.
Calada e cercada de abelhas,
Descanso entre as folhagens.


Diana Balis

 
Autor
DianaBalis
 
Texto
Data
Leituras
310
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
8 pontos
4
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 25/04/2018 20:09  Atualizado: 25/04/2018 20:09
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16306
 Re: Canto Verde
Diana
Apreciei a leitura!
Abraço!
Janna

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 28/04/2018 12:11  Atualizado: 28/04/2018 12:11
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29356
 Re: Canto Verde
Que beleza de poesia, amei

Enviado por Tópico
Joel-Matos
Publicado: 10/05/2018 09:21  Atualizado: 10/05/2018 09:23
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2119
 Re: Canto o Verde
canto o Verde também (Cesário)




Não canto de noite porque no meu canto do fundo escuro da casa, Nem sei quando é noite ou se é dia, Ou quando acaba esta e começa o outro.

Não surpreendo o sonho porque durmo de dia, Acordando de quando em vez, Enquanto na noite permaneço acordado, Dormindo apenas enquanto ele se revela em sonho E me vela deitado e ao meu lado. (imagino eu)
Por outro lado, se canto a ilusão, Ela me reduz no tamanho, a uma azeitona preta
E acabo perdido num universo escurecido e frio, Num oceano alheio de estrelas.
(Sou um objecto quase acabado, mas sem ardor, Morrendo na sua bancada de trabalho)



J.S.

Enviado por Tópico
Namas-tibet
Publicado: 19/07/2018 18:19  Atualizado: 05/09/2018 17:32
Colaborador
Usuário desde: 17/07/2018
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 1037
 .
.