https://www.poetris.com/
Textos -> Políticos : 

Os Poderes nas Democracias

 
Tags:  liberdade    poder    justica    igualdade  
 
As democracias têm limitações, e não são poucas, mas pior do que as democracias é ser contra as democracias porque, sem democracia, quem deixa de ter limitações são os poderes reais da economia, da finança, da política, da religião, do futebol. Já em democracia estes poderes tendem a usar e a abusar da liberdade (democrática) para condicionarem e instrumentalizarem as instituições do Estado e manipularem o próprio sistema (democrático) de legitimação dos poderes. A liberdade é indissociável de poder e vice-versa. O poder do povo é uma ficção, mas é uma ficção com alguma força, pelo menos com a força dos critérios e dos princípios e contribui para regular as outras forças da sociedade e limitar os poderes reais com uma lógica diferente do certo ou errado. Há que apostar nas liberdades e na igualdade perante a lei, no reforço da defesa e garantia dos direitos, pela ação eficaz e rápida dos tribunais independentes e das polícias, num total e exclusivo serviço de controlo por parte do Estado, das suas leis democráticas e da Declaração Universal dos Direitos. O que falta, nas nossas democracias é a eficácia do sistema, que permite aos políticos subverter e instrumentalizar o que não deve ser subvertido nem instrumentalizado para proveito desses mesmos, à custa do sistema que permitiu a "captura" do Estado.






 
Autor
Carlos Ricardo
 
Texto
Data
Leituras
166
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Carlos Ricardo
Publicado: 26/10/2018 23:19  Atualizado: 26/10/2018 23:19
Colaborador
Usuário desde: 28/12/2007
Localidade: Penafiel
Mensagens: 1929
 Re: Os Poderes nas Democracias
A democracia tem sido o grande "slogan" da partidocracia, porque é um dos ideais em que toda a gente gosta de acreditar.
Depois, quando percebemos que andamos enganados, a culpa é nossa, por termos sido burros. Só que, burros ou não, sem ofensa para os simpáticos e pacientes asininos, na realidade, o que podemos fazer para que as coisas não sejam como são, é praticamente nada.
Protestar dá-nos a ilusão de liberdade e o voto, que seria outra arma, é, tal como o protesto, grande aliado daqueles que pretenderíamos afastar, porque o sistema é em circuito fechado, se protestas ou votas no mau estás a apoiar o pior e até a abstenção tem o significado que tem.
Mas reitero que falta cumprir a democracia, contra a plutocracia, a partidocracia, e a cleptocracia. Daqui a pouco já não há palavras gregas, ou de origem grega, para designar o poder dos usurpadores canonizados, ou condecorados.