https://www.poetris.com/
 
Open in new window

Eu nasci das folhas caídas no Outono!
Nas madrugadas caiadas de branco,
Trazidas pelo suão...
Nasci no meu tempo e fora dele...
Do ventre em sangue de minha mãe!
Senti da terra...
O perfume, o ventre, o coração...
O seu apelo no voo das aves...
O bailado na ramagem da copa nos sobreiros...
O ondular no mar dourado das cearas!
Sentia-me livre e do tempo prisioneiro,
Que amordaçava os meus sentidos,
Em grilhões de realidades...
Fugia do mundo...
E no mundo me encontrava,
Abrigando-me assim em desabrigos;
De campos gelados de mim mesmo,
Onde o sol se põe orvalhado de saudades!

F.Serra

 
Autor
F.Serra.Pintor
 
Texto
Data
Leituras
68
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
6
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 12/02/2019 15:50  Atualizado: 14/02/2019 10:56
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Setúbal-Azeitão, Portugal
Mensagens: 1582
 Re:( Eu ) sou de excessos












Sou de excessos,
Só não excedo
A mim mesmo,
Porque não me deixo ...

Deixo não !
















Enviado por Tópico
Juvenal Nunes
Publicado: 14/02/2019 08:18  Atualizado: 14/02/2019 08:18
Da casa!
Usuário desde: 28/07/2013
Localidade: Douro Litoral
Mensagens: 411
 Re: EU
A procura de viver é feita de excessos e carências, em que a possibilidade de fuga nem sempre nos torna mais rápidos que a própria sombra.

Juvenal Nunes