https://www.poetris.com/
Sonetos : 

Opinião

 
Tags:  verdade    sociedade    meio    devagar  
 
Opinião

O dia que eu cheguei a este lugar
Chamaram-me atenção com jeitinho
Falaram-me para eu não gritar
E pisar nesse chão bem devagarinho

Disseram-me que o negócio é feio
Para que eu não viesse a me exaltar
Pois quem não fizesse parte do meio
Não conseguiria na vida decolar

Respondi que não tinha a vaidade
De fazer parte de qualquer sociedade
Para fama e dinheiro eu conquistar

Pretendo só trazer a minha verdade
Que não deve ser a única dessa cidade
E outras opiniões tenho que respeitar.

jmd/Maringá, 11/03/19



verde

 
Autor
João Marino Delize
 
Texto
Data
Leituras
151
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Namas-tibet
Publicado: 12/03/2019 16:36  Atualizado: 13/03/2019 23:54
Colaborador
Usuário desde: 17/07/2018
Localidade:
Mensagens: 581
 Re: Opinião
É difícil explicar a um demónio a dor da chama e o que pensa e sente um santo em forma da mula dos infernos ou um Semper fidelis crente perante a morte eminente na pira do santo ofício e a orgia de sentimentos que o poeta sente quando escreve e sabe que se está condenado ao purgatório pelo que diz sem que importe, ele escreve com a expressão no rosto do demónio que tem dentro e que doi numa dor de noite permanente, do desterro de ser gente, tão difícil de explicar por números ...
Embora as opiniões nunca fizessem florir uma amendoeira mas na minha cabeça, o centro fica em flor como que por encanto quando penso, da dor opinião não tenho nem tento dar opinião ...nem tento

Enviado por Tópico
ZESILVEIRADOBRASIL
Publicado: 12/03/2019 17:04  Atualizado: 12/03/2019 17:04
Membro de honra
Usuário desde: 22/11/2018
Localidade: RIO - Brasil
Mensagens: 189
 Re: Opinião
antes de mais nada, saber por onde se pisa não é postura fácil. mas, certamente, se conseguido, pisar devagarinho não é o poema subjugar-se, tampouco deixar-se admoestar. e sim; é atitude mor, equilíbrio mantido. tal qual nos trouxe, ratificado na estrofe final. cumprimento-o.

abraço caRIOca