https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

O JARDIM DO AMOR

 

Acordemos todos acordes
Dos espíritos adormecidos
E que sejam as conversas 
Intercaladas com silêncios

Silêncios qual sons puros
Invisíveis e tão límpidos
Silenciemos nosso íntimo.
Ousemos inverter o ouvir

Depuremos pois os tempos
Para verter novos destinos
Freiemos o ritmo alucinado
Que só vão dar em abismos.

Checar interesses e os fins
Noções que tragam a razão.
Caminhar claro que vamos
Não só navegar ser preciso

Não sejamos os primeiros a chegar
Com as mãos e os corações vazios
Sejamos os últimos desta triste sina,
Tranquilos indo para outros destinos

Mudando a chave e nosso intimo
Não tão acompanhados no início
A estrada é nova e pouca usada
Mas os corações estão surrados
Mas vão com amor e esperanças

Haverá uns e alguns outros
Que olharão então para trás
E de almas limpas irão sorrir 
Pois há novo tempo surgindo
E um novo sol poderá brilhar

'A felicidade provém do nosso intimo, daquilo que sentimos dentro de nós mesmos' Roselis V. Sass - www.graal.org.br


"A felicidade provém do íntimo, daquilo que o ser humano sente dentro de si mesmo" Roselis von Sass - www.graal.org.br

 
Autor
HSERPA
Autor
 
Texto
Data
Leituras
2440
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.