https://www.poetris.com/
Poemas : 

O relógio

 
O relógio da estação, que já não dá horas certas
E debaixo de seus ponteiros e pêndulo, verdades (ou não) descobertas
Nunca fui bom com horas e muito menos com contas
Bem reais, bem verdadeiros os erros que me apontas

O relógio da estação já data do século passado
Bandido! Até aos mais importantes momentos me faz chegar atrasado
Queria eu sempre chegar a horas, e não o faço por mal
Mas é que o meu relógio não funciona como o de uma pessoa normal

Por isso necessito de um bom relojoeiro
Que seja um relojoeiro bom, que seja derradeiro
É que o mecanismo do meu relógio 'ta emperrado
Por isso necessito de um bom relojoeiro, pa' ele deixar de 'tar parado

Não que o relógio necessite do relojoeiro apenas em momentos fogazes
O relógio precisa do relojoeiro
E o relojoeiro precisa do relógio
Sempre que os dois se zanguam... Ventos, furacões e por fim as pazes

Relojoeiro e relógio conectados a todo o momento
Horas acertadas, acaba-se o tormento
Loucura que corre solta e desenfrada
Relógio e relojoeiro e não me interessa mais nada

Às vezes ando pr aí um pouco desatento
É que o meu relógio bate mal, e eu sou cabeça de vento
Relojoeiro do mecanismo de máquina minha e tua
"Gosto de ti, desde aqui até á filha da puta LUA"


MINHA POESIA MALDITA...
VEM DE MINHA ESCURIDÃO
E MINHA POESIA LUMINOSA
DE MINHA FONTE DE INSPIRAÇÃO

Peace & love
FidesinOculisMeis 2019®

 
Autor
FidesinOculisMeis
 
Texto
Data
Leituras
56
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.