https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Reflexão : 

Ai, como eu quisera

 
Quisera eu transformar palavras em abraços
e de tempestades em suaves brisas,

quisera eu calar vozes agressivas
e torná-las silêncios harmoniosos,
converter em oásis de amizade
desertos de hipocrisia,

quisera eu acalmar inquietudes
no perfume da maresia,
e agitadas noites de revolta
em alvoradas de serenidade,

quisera eu moldar o gume
da provocação
em perfumada pétala,

quisera eu...
ai, como eu quisera...
modificar o mundo
e inventar humanidade
nos seres humanos

José Carlos Moutinho
19/7/19

Ao abrigo do Decreto-lei nº 63/85
dos direitos de autor


 
Autor
zemoutinho
 
Texto
Data
Leituras
385
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 19/07/2019 12:48  Atualizado: 19/07/2019 12:48
 Re: Ai, como eu quisera
"ai como eu quisera... está tudo fodido" este poema interpreta o pensamento de um velho frustrado rendido aos sapos dos nossos jardins de diabos de carne e osso. quisera... o verbo... muitos quiseram e conseguiram, embora, eles nunca tenham chegado a saber, mas conseguiram. os que pensam diferente da generalidade da floresta sempre conseguem. o tempo meu amigo... é claro que as lesmas andam a meio à hora mas sempre vão andando. ora um passo para trás, dois para a frente e o balanço acaba por ser positivo. por isso eu creio na arte. por exemplo, muitos ao lerem este poema não se reverão no conteúdo e quererão por certo ser diferentes. então digamos que, este poema ajuda a mudar. hoje fruto dos professores analfabetos que proliferam nas redes anti-sociais a dar horas por conta própria o mundo atrasou-se, mas, estou convencido que se o caracol acordar a tempo amanhã correrá para recuperar o tempo perdido.
obrigado... e desculpe qualquer coisa...
continuação de um bom dia