https://www.poetris.com/
Poemas -> Reflexão : 

Tempos de inquietação

 
Democraticamente a liberdade
foi, provisoriamente, cerceada,

e porque a cidade dorme
o medo passeia-se provocador
pelas ruas desertas
tentando insinuar-se perante os mais frágeis
que, resilientes enfrentam provações,

o silêncio produz um som estranho,
que penetra insistentemente, os pensamentos
transformando-os em onda simbiótica
de acalmia, inquietação
e muita esperança,
imbuídas numa profunda fé!

E a cidade, apesar de a alvorada
ter nascido há algum tempo,
mantém-se em sonolência,
só o medo continua a vaguear pelas ruas,
agora menos desertas,
saudosas do bulício!

Há no ar uma invisível nuvem
de solidariedade e humanização,
levando, certamente a muita reflexão,
que, infelizmente, acabará,
talvez, quando a cidade acordar
e a desumanização retornar!

José Carlos Moutinho
20/3/2020

Proibido o plágio
ao abrigo do Decreto-lei nº 63/85
dos direitos de autor

 
Autor
zemoutinho
 
Texto
Data
Leituras
155
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.