https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Desilusão : 

Rios de iluões

 
Rios de ilusões

Chorei tanto que minhas lágrimas...
Inundaram dos rios seus leitos secos
As marcas de meus tormentos.
Tanto foram que chegaram aos mares.

Minhas amarguras tornaram revoltas
Suas calmas águas cristalinas
No fluxo e refluxo de suas marés...lembranças
Indo e vindo no seio da sofrida alma.

Sofri as perdas de mim...
Em um mundo de incertezas.
Deixei passar aos olhos,
A beleza de seus jardins.

Plantei no leito seco deste rio.
Uma flor, rainha vermelha rosa.
Reguei-a com o sereno meigo...
Das minhas singelas fantasias!

Depositei nas aveludadas pétalas
O orvalho de minhas alegrias.
Para colher na eternidade o sonho...
De ser teu platônico amante.

Baroneto.


Baroneto


 
Autor
THOMAZBNETO
 
Texto
Data
Leituras
202
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 02/01/2020 21:50  Atualizado: 02/01/2020 21:50
 Re: Rios de iluões
iluões está fixe. ilusões seriam talvez derivadas do desejo... e mais não digo. não achais que os poetas deveriam ter nomes de gente?!