https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Reflexão : 

Deito-me na noite, cansada

 

Cravo nas mãos a insânia de ontem
alucino-me em sombras agitadas,
saboreadas nos umbrais do olhar
sem tempo, sem cor…sem alento

Tropeço nos meus passos…distantes
molhados de sonhos …gotejantes
de um mar vermelho de escombros

Deito-me na noite, cansada
dos suspiros, gemidos e da dor
nos olhos o anseio da alvorada
neste inverno sem chuva e calor.

Escrito a 6/1/2020
 
Autor
Liliana Jardim
 
Texto
Data
Leituras
332
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
2
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 06/01/2020 12:07  Atualizado: 06/01/2020 12:07
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29440
 Re: Deito-me na noite, cansada
Um verdadeiro canto poético, amável e belo

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 06/01/2020 20:33  Atualizado: 06/01/2020 20:33
 Re: Deito-me na noite, cansada
confesso que este género de escrita se identifica comigo. embora... a poesia... comentar é complicado. no entanto existe esta coisa de interacção e eu, acho que, quando as coisas existem temos de lhes dar uso. eheh há quem tenha nascido com o cu virado para a lua, provavelmente nasceram no dia de reis. já eu, nasci no de santo antónio e... tenho de dizer uma asneira... Liliana, eu sou do Porto, do norte... é um numero do caralho. definitivamente. sempre um gosto...