https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Diz-me quem tu és entre os homens

 

Diz-me quem tu és entre os homens,
E di-lo-ei quem sou entre as estrelas,
Marquês Pombal, não és,
Fernando Pessoa, também não

De letras, não vales uma vírgula,
Nem assento arquitectado por Pombal
Na baixa pombalina da liberdade,
Onde desfilam as quinas de Portugal

De Camões, sabes pouco,
E esta língua na língua da tua boca,
Pesa pouco ou nada nas bordas do papel,
Que vestes com a tinta do tempo

Não sou como tu, nem és como eu sou,
Sou brilho das estrelas, oceano de palavras,
Que voaram das Torres de Belém, pra o além-mar,
E lá longe, se fala português, que julgas ser só teu

Vaidade, só vaidade, orgulho zero,
Saber desconectado à língua que tu vendes,
Nas esquinas do luso poemas,
Onde se ouve bem clara, a voz de Portugal

Adelino Gomes-nhaca


Adelino Gomes

 
Autor
Upanhaca
Autor
 
Texto
Data
Leituras
221
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
33 pontos
1
4
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Upanhaca
Publicado: 13/01/2020 23:51  Atualizado: 13/01/2020 23:51
Colaborador
Usuário desde: 21/01/2015
Localidade: Sol Poente
Mensagens: 6609
 Re: Diz-me quem tu és entre os homens
Tentar fazer duma língua, sua propriedade, é total ignorância dum vaidoso.