https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Marinheiros das fofocas

 
Open in new window

Com palavras se faz guerra
E não se ganha céu nem terra,
A não ser o atonar da ira
Em nossos corações de ferra

Guerrinha não nos faz reis
Nem príncipes dos céus,
Senão escravos da solidão
Despidos da razão

Cada palavra desajustada
Que sai do sufoco das nossas mãos,
É o reflexo dos nossos corações
É o grito das nossas almas depenadas

Fazer guerrinha, num cantinho de paz
Onde tudo se faz
Pra alegrar corações,
É ausentarmo-nos da razão

Palavras são como ferras
E são como plumas ao vento,
Quando saem tortas, merecem o veto
Pra que não haja bagunça na esfera social

Vetá-las não nos cansa,
Preciso é ter alma mansa,
Pra evitar lástima neste lugar,
Onde lágrimas moram na dispensa

Não, não nos convoquem pra o lado de lá,
Venham à luz da ribalta,
Assim, justificaremos a vossa falta
Perante o olhar da razão dos de cá

Não somos guerreiros,
Nem marinheiros das fofocas
De bocas loucas,
Asiladas em suas frias tocas

Adelino Gomes-nhaca


Adelino Gomes

 
Autor
Upanhaca
Autor
 
Texto
Data
Leituras
221
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
13 pontos
1
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Upanhaca
Publicado: 13/10/2021 15:43  Atualizado: 13/10/2021 15:43
Colaborador
Usuário desde: 21/01/2015
Localidade: Sol Poente
Mensagens: 7188
 Re: Marinheiros das fofocas
vossas fofocas à minha janela,
só trazem luz
às minhas inspirações poéticas