Poemas : 

Roubaste os azuis …cedo demais

 
 



logo após a tua cruzada
entre as estrelas e o espectro
do teu silêncio
tudo se enlutou…
até estas palavras
aguadas de tanto sal


depois
de uma dura noite
o astro que chamam rei
alampou os sobrolhos
para um ressuscitar
demasiado radioso
contrariando
o declínio dos olhos

mas tive de arrancar
os troncos de carne
para enfia-los
nos negros sapatos
e me arrastei pela cidade
macambuziando

o mundo
definitivamente
está mudado
sem ti ao meu lado

as travessas do bairro
cheiram a parca
e o abanar das janelas
persistem em prolongar
um adeus
acinzentado

até o céu
aparece nublado
de tão azulado

até os passos
parecem gritar
os lugares
nossos






 
Autor
eir
Autor
 
Texto
Data
Leituras
722
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
5 pontos
1
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/06/2020 01:31  Atualizado: 01/06/2020 01:31
 Re: Roubaste os azuis …cedo demais para eir
pareceu-me um relato, um roteiro, uma peça sobreposta à uma estória que sempre se aconteceu, e..

que bom ler, assim(aqui).




sem mais,(palavras pra dizer)