https://www.poetris.com/
Poemas -> Surrealistas : 

Sem sentido

 
Sempre aprendemos com quem nos ensina, contigo aprendi a ser barco sem remos. Escrevo sem sentido aos céus, as nuvens são poemas sem verdades.
Renasço estátua de poesia de
morta com a cabeça aos pombos,
Já nada espero, além de quem passe por mim contando algumas histórias. Pouco me importa o passado, faço que acredito nos tolos, enquanto ainda interrogo o horizonte por onde nus ficámos.

A mudez do mármore já não me assusta,
habituei-me a ser o que nunca fui,
aprendi bem o que me ensinaste!

Pensa o que quiseres, da lápide do teu jardim.




Esqueci

 
Autor
Esqueci
Autor
 
Texto
Data
Leituras
95
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
2
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 14/07/2020 18:54  Atualizado: 14/07/2020 19:01
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1905
 Re: Sem sentido
Há um provérbio (acho) que diz, "quando o aluno está pronto, o mestre aparece".
Já eu vou achando (e perdendo) que todos aprendemos com todos algo. O que fazer e o que não fazer. Como ser e como não ser. Como estar e como não estar.

Alguns fazem-no de forma directa, dirigindo-se a nós ou nós a eles. Outros de forma indirecta, ou seja, por observação da nossa parte.
É como conduzir um carro. Temos o instrutor e os outros condutores, que nos vão educando. Extrair e educar são sinónimos.

A meio do primeiro verso, vem uma presença fortíssima de uma personagem, para além do sujeito poético. O tal, ou a tal, mestre.
Que parece virar do avesso o aluno.
"...contigo aprendi a ser barco sem remos. Escrevo sem sentido aos céus, as nuvens são poemas sem verdades..."

Navegar à deriva, é ao sabor das correntes. Nos barcos a remos, estes servem de propulsão e de leme. Derivamos, no teu poema.
As nuvens nos céus, sendo "poemas sem verdades..." podem ter alguns sentidos. Procurar a verdade na poesia é ir a um nível de profundidade que talvez seja só sinceridade, ou honestidade.
O resto é fingimento.

Depois entramos na loucura.
Detesto pombos, apesar do símbolo da paz e tal, mas cagam-me o carro todo com as crises diarreicas.
"...Renasço estátua de poesia de
morta com a cabeça aos pombos..."
As estátuas vivas não têm graça., mas começamos a entrar no mundo que vai desembocar na conclusão.

Há cemitérios lindissimos, com esculturas que só vendo, homenagens a quem parte.

"...Habituei-me a ser o que nunca fui..."
é um hábito difícil, mas para melhor muda-se sempre, tenho ouvido.

Como aprender.

Abraço irmã

Enviado por Tópico
Violante
Publicado: 14/07/2020 19:56  Atualizado: 14/07/2020 19:56
Da casa!
Usuário desde: 10/09/2019
Localidade: Campinas, Brasil
Mensagens: 349
 Re: Sem sentido
Olá Poetisa Esqueci

Caminhar sem sentido. Ficar sem rumo. Interrogações.
Tantas vezes me aconteceu.
Gostei de ler. Me identifiquei.

Beijo


Carpe diem