Sonetos : 

Nu-cósmico

 
Tags:  poema    nu-cosmico    siturcio  
 
Eu que passo toda a vida
entre pesares e temores,
reais-falsos, fiéis ardores,
nada sinto da fé perdida.

E é no tempo a mais dorida
das fortunas e temperanças.
Vagos dias, ocas lembranças,
nada além de mente sofrida.

Quando sucumbir ao passado,
aos dias tórridos que se foram,
hei lembrar do tempo-alado

em que os sóis não nasceram,
e o tempo era som desgastado
que os nus-cósmicos comeram.

 
Autor
Siturcio
Autor
 
Texto
Data
Leituras
347
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.