https://www.poetris.com/
Poemas : 

Devaneio

 
Open in new window


Ó vinho ergo-te na taça calorosamente em brinde
Meu coração, este fardo aflito, me dói, mas feliz
Nem um minuto faz de tua partida, já és saudade
Trama melodiosa de meus sentidos, sombras nuas
Tua cor rubi que preenche os espaços até a borda
O aroma de incenso que flutua pelo ar e o perfuma
Minha porção alada nas espirais do desconhecido
As violetas e outras flores anunciando a primavera
E tu diz-me tão radiante: hoje quero voar contigo
Manchar a tua boca com a cor púrpura da minha
E te digo musa minha cantarei as estações para ti
Perfumarei o teu corpo com exóticos almíscares
Nosso amor não nasceu para morrer sob este céu
A noite se aproxima e já ouço essa voz conhecida
Que antecipa tua chegada como se fosse melodia
Janelas abertas por onde se esvai a minha solidão
Para além da campina, dos riachos, meu devaneio


Dor e angústia protagonizam o show
Quando a noite vem, a mágica se faz
Nasce o poema das entranhas feridas
Então, abro as asas e voo ao infinito.



 
Autor
Mr.Sergius
 
Texto
Data
Leituras
69
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
4
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HELDER-DUARTE
Publicado: 23/09/2020 21:20  Atualizado: 23/09/2020 21:20
Da casa!
Usuário desde: 24/11/2006
Localidade: Albufeira
Mensagens: 346
 Re: Devaneio
E assim nasce um poema!


Enviado por Tópico
IsabelRFonseca
Publicado: 24/09/2020 11:01  Atualizado: 24/09/2020 11:01
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2013
Localidade:
Mensagens: 3358
 Re: Devaneio


E assim nasce um amor poético
de tanto sentimento em devaneio


um abraço Mr.Sergius