https://www.poetris.com/
Poemas : 

Prisioneiro

 
Sou um prisioneiro do teu olhar
Numa furtiva luz em desespero
Luas cruas, corpos de fiar horror
Sem ter ninguém para salvar.

(Isabel Morais Ribeiro Fonseca)


PRISIONEIRO

Sou prisioneiro desse teu olhar
Cheio de ti num torturado esmero,
Numa furtiva luz em desespero,
Branca lua que espelha o negro mar.

Repousa do oceano lá no fundo
Aquele grande amor que inda palpita,
Aquele que forjou a minha dita
Com traço tão real e tão profundo.

Chega um eco distante que não morre
De algum profundo mar desconhecido;
E uma fragrância que na noite escorre

Consegue reviver um mundo ido:
Aquele meu castelo, a minha torre,
A seta enfeitiçada de Cupido.

PRISIONERO

El prisionero soy de aquel mirar,
Lleno de ti, de un torturado esmero,
Furtiva luz, que tan en vano espero,
Luna llena que vibra sobre el mar.

Reposa allá en el reino de Neptuno
Aquel mi gran amor que aún palpita
Que muerto y naufragado resucita,
Rememorando gozos, uno a uno.

Llega un eco distante de otra era,
De algún profundo mar desconocido;
Y la fragancia de esta primavera

Consigue revivir un mundo ido:
Vergel inmemorial, grata ribera,
Y la embrujada flecha de Cupido.
 
Autor
Juanito
Autor
 
Texto
Data
Leituras
104
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
4
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
SoledadViñas
Publicado: 02/01/2021 21:25  Atualizado: 02/01/2021 21:25
Super Participativo
Usuário desde: 14/12/2020
Localidade:
Mensagens: 125
 Re: Prisioneiro
En el amor hay siempre algo de locura, pero también hay siempre en la locura algo de razón


Enviado por Tópico
IsabelRFonseca
Publicado: 03/01/2021 19:10  Atualizado: 03/01/2021 19:10
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2013
Localidade:
Mensagens: 4348
 Re: Prisioneiro


Somos todos prisioneiros do amor
entre a noite e o dia num poético sentimento


um abraço poeta Juanito