https://www.poetris.com/
Poemas -> Intervenção : 

Sonhei pelas margens do rio

 
Sonhei pelas margens do rio
 
Eu vi o reflexo do sol nas águas do majestoso rio
Vi o reflexo do céu de verão nas águas
Senti a brisa no amanhecer
E observei as lágrimas que escorriam dos olhos
Na solidão eterna de um tempo que se esvaia das mãos
Pequenos barcos saiam silenciosamente antes do amanhecer
E podia ouvir os passos apressados dos trabalhadores
Transitando pela calçada
E na praça alguém fazia exercícios
Eu também andei pelas ruas estreitas feitas de paralelepípedos
Eu também senti as dúvidas
Que surgiram curiosas e abruptas agitando-se em mim
O que me permite estar livre agora?
Eu andei entre as multidões eufóricas nos festivais
Sonhei pelas margens do rio
Que deixava-se deslizar sem pressa nenhuma de ir embora
E eu vi a escuridão que chegava
O que pensas de mim agora?
Vejo as águas secando e contemplo as areias solitárias
As lembranças são fantasmas de um tempo feliz
Senti seus braços quando parei para observar tudo isso
Desce, rio, desce tranquilamente
Se ainda haverá esperança para ti não posso afirmar
Apenas sonho com dias melhores
E alguns casais ainda passeiam pelas margens de mãos dadas
Porque onde há vida há esperança.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

 
Autor
Odairjsilva
 
Texto
Data
Leituras
193
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 14/07/2021 21:39  Atualizado: 14/07/2021 21:39
 Re: Sonhei pelas margens do rio
o que penso de ti! penso que devias sonhar por ti. todos nós já vimos muita coisa. isso passa. sonha por ti que, as margens do merecem. o melhor é sonhar sem margens senão ainda ficas preso nas pedras, ou nas ervas e, nunca mais chegarás ao mar. uma boa noite Odair poeta cacerense