https://www.poetris.com/
Poemas : 

Espreita

 
Cada sombra da noite virgem esteve à espreita
Magníficos cães vadios a perambular pelas ruas
Ao olhar dessas figuras que se dizem altruístas
Em sua falsa grandeza, mas permanecem inertes
Ansiosos pelas tormentas e pelo certo fracasso
Os seus sonhos tem a estatura dos seus mortos
Os quais a quem chamava poetas já estão mortos
Se foram levando o vazio e o paladar da loucura
Sem nem mesmo deixar a mais tênue lembrança


Dor e angústia protagonizam o show
Quando a noite vem, a mágica se faz
Nasce o poema das entranhas feridas
Então, abro as asas e voo ao infinito.



 
Autor
Mr.Sergius
 
Texto
Data
Leituras
52
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.