https://www.poetris.com/
 
Invejo o ar que te toca o corpo,
pois queria eu te tocar
Invejo a água que te resvala no rosto
queria eu te acariciar
Invejo o céu que olhas,
queria eu te dar a brisa da noite
Vejo-te pequena e indefesa,
eu queria poder te proteger
Com leve gesto e perfume de jasmins,
livrar-te do tempo


Dor e angústia protagonizam o show
Quando a noite vem, a mágica se faz
Nasce o poema das entranhas feridas
Então, abro as asas e voo ao infinito.




 
Autor
Mr.Sergius
 
Texto
Data
Leituras
196
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
GabrielaMaria
Publicado: 29/09/2022 12:52  Atualizado: 29/09/2022 12:52
Super Participativo
Usuário desde: 04/09/2022
Localidade:
Mensagens: 141
 Re: Inveja
.

Assim você faz uma areia comum sentir-se como diamante.
Abraço

Erotides