https://www.poetris.com/
Poemas : 

Verso Noturno

 


Perdoe-me se este verso noturno saltou do papel
Antes que eu pudesse evitar, sim lutei para evitar
Posso jurar que já te esqueci, até rasguei tua foto
Nem imaginei escrever nenhuma palavra proibida
Eis que me faltam as melhores para te descrever
Não pensei em rimar amor com dor ao falar de ti
Quando a vida negou-se a seguir, tatuando a pele
Juro que deixei partes em branco, qual silêncios
Feitos de nuas palavras há tanto impronunciadas
Que deixei em signos enterrados na areia do mar
Sem mapa algum, para que os pudesse encontrar
Perdoe se nosso sonho cativo partiu como águia
Revoada que te revelou, adivinhou e enfim calou
Então fecha os olhos, sente o cheiro das maçãs
Ouve um último lamento, escrito em clave de fá
Na dança do fogo, o som triste do oboé em mim
Imagina que tudo que outorgamos pelo caminho
Descansa na semente da árvore do novo futuro


Dor e angústia protagonizam o show
Quando a noite vem, a mágica se faz
Nasce o poema das entranhas feridas
Então, abro as asas e voo ao infinito.




 
Autor
Mr.Sergius
 
Texto
Data
Leituras
86
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
3
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Mr.Sergius
Publicado: 22/01/2023 03:31  Atualizado: 22/01/2023 03:31
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2018
Localidade: Luxor (Egito) / काठमाडौं (Nepal)
Mensagens: 1625
 Re: Verso Noturno
Letra do vídeo - tradução livre

Você aprende sobre isso

Agora que passamos um inferno juntos
Não nos importa em apenas suspirar
Tínhamos certeza que você era capaz
Mas porque não tenta?
Oh, você aprenderá isso
Oh, você colhe até não poder mais
Tudo que te faz mal

Um dia não aguentará mais.

Enviado por Tópico
Jorge Santos
Publicado: 23/01/2023 16:39  Atualizado: 23/01/2023 16:39
Subscritor
Usuário desde: 18/08/2021
Localidade: Azeitão, Setúbal, Portugal
Mensagens: 1964
 Donizetti: L'elisir d'amore


Uma das peças e talvez a mais sentida, a mais intimista, de Donizetti ...