https://www.poetris.com/
Poemas : 

Sementes (Se mentes)

 
A noite estende seu negrume nas horas de ninguém
São duras sombras que ceifaram a luz sobre o trigo
Teus sinais vivem em mim, imersos em minha fronte
Onde viram o passar de uma lágrima a outra lágrima
Marcas de mar e fogo a desafiar o passar do tempo
Nas costas, marcas submersas como antigas chagas
Inundadas pela preamar remota da memória dorida
Fostes a raiz de tudo, a lua e estrelas, voz e silêncio
O poente e a alvorada, a permanência da esperança
Mas preferiste ser navio às cegas a rumar sem farol
O gesto apagado, adeus não acenado ao sol poente
Uma distância sem estrada e um amanhecer sem sol
Porém tu permaneces no meu coração atormentado
Que ainda aguarda a vinda do amanhecer definitivo
Que trará signos nas veredas dos ventos do destino
Teus sinais ainda difundem-se, perniciosos, em mim
E compõem inúteis notas d’uma canção sem música
Poeta, seguirei na sina que me foi gravada na carne
Cavar em silêncio até renascerem sementes de amor


Dor e angústia protagonizam o show
Quando a noite vem, a mágica se faz
Nasce o poema das entranhas feridas
Então, abro as asas e voo ao infinito.




 
Autor
Mr.Sergius
 
Texto
Data
Leituras
71
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
ALINE.LIMA
Publicado: 02/02/2023 19:06  Atualizado: 02/02/2023 19:06
Muito Participativo
Usuário desde: 02/04/2012
Localidade:
Mensagens: 91
 Re: Sementes (Se mentes)
Adorei o texto.
"nas horas de ninguém..." Que lindo !
Meus aplausos pela sua escrita.