Poemas : 

À Porta das Manhãs

 
Fixei no espelho o meu reflexo, reparei
que p'lo meu rosto havia passado o tempo
mas não me reconheçi, não me encontrei
e apenas me invadiu um pensamento:

a vida fez-me parar à porta das manhãs
porque nunca fui capaz de ser o primeiro
a penetrar os sonhos em horas vãs
para conseguir ser um Ser inteiro!

No espelho pus a mão na minha mão
os dedos pareciam retesados, hesitantes,
nesse instante tremi, cai no chão
e lá estava eu como sempre, como dantes.

Senti medo, fel, solidão, fome ...
Noutro tempo, quando eramos os dois,
bastava chamar pelo teu nome
e desvaneciam o antes e o depois.

Quis partir, pus a vida sobre a mesa
com dor, amargura, sofrimento,
e quis morrer ali, tive a certeza
mas adormeci nesse momento.

Se já não posso estar contigo
ter de volta tudo o que foi nosso
embora ninguém oiça o que digo
chorar sobre este espelho ainda posso!


Ricardo Maria Louro

 
Autor
Ricky
Autor
 
Texto
Data
Leituras
85
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
11 pontos
1
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 12/04/2024 06:02  Atualizado: 12/04/2024 06:02
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 10532
 Re: À Porta das Manhãs
Perplexa perante estes versos tão bonitos. Belo seu olhar poético, parabéns.

Bom fim de semana.