Sonetos : 

Sombras

 
Tags:  poeta    cerrado    luciano    Spagnol    sombras    sofrência  
 
 
Guardo poemas soturnos e cinzentos
Numa inspiração desbotada, sem luz
Suspiro no verso sentido, que traduz
A minha poética, cheia de tormentos

Tem tons, inquietos, ais e lamentos
Nos sussurros, a poesia me conduz
Choro e apertos numa pesada cruz
Poetizando estes árduos momentos

E cada sentimento, então, aí figura
Sofrência, enchendo de desventura
A prosa que só queria, apenas amar

E triste, poeto e sinto, sofro e enleio
Vejo tudo feio, tenho o coração cheio
E, a noite sombria, a passar devagar.

© Luciano Spagnol – poeta do cerrado
13 abril, 2024, 19’32” – Araguari, MG


Poesia é quando escrevemos o monólgo de nossa alma, que se torna um diálogo com o leitor.

Protegido por Lei de Direitos Autorais (9.610/98)
Se copiar citar a autoria – © Luciano Spagnol – poeta do cerrado
 
Autor
LucianoSpagnol
 
Texto
Data
Leituras
109
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
4
3
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 14/04/2024 11:09  Atualizado: 14/04/2024 11:09
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 18165
 Re: Sombras
Poeta
Penso que onde há sombras há luz! Lindo soneto para reflexão! Parabéns!
Abraço!
Janna


Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 16/04/2024 20:29  Atualizado: 16/04/2024 20:29
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 10532
 Re: Sombras
Encanto-me ao ler seus sonetos!
Soneto escrito com muita sensibilidade.