Poemas -> Reflexão : 

O fim do mundo bate à porta

 
As percepções são inconstantes 
Não se sabe ao certo o que se pensar 
O fim do mundo bate à porta 
O fim de uma geração 
Que poderia ter sido diferente 
Uma só pessoa consegue destruir milhares 
Mata-se o inocente por ninharias 
E a violência é a palavra do dia 
Onde estamos na escala mundial 
E para onde foi a nossa humanidade? 

As percepções são realistas 
A ponto de confundir os pensamentos 
Não se encontra mais alguém sério 
Que possa colocar ordem na sociedade 
Apenas falsos mestres ensinam heresias 
Para um público apaixonado por mentiras 
E o que podemos fazer a respeito 
Quando ninguém quer saber de nada? 
Larga mão de ser idiota! 
Grita alguém no meio da multidão 
E ninguém quer ouvir essas asneiras 
Então seguem o seu caminho 
Como ovelhas para o matadouro. 

 Poema: Odair José, Poeta Cacerense

 
Autor
Odairjsilva
 
Texto
Data
Leituras
287
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
2
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 16/04/2024 20:14  Atualizado: 16/04/2024 20:14
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 10532
 Re: O fim do mundo bate à porta
O poema reflecte o mundo presente, onde não há respeito pelo ser humano, onde abunda a ganância, e onde morre uma geração, não está fácil acabar com este tormento, que diz respeito ao mundo inteiro, e em que parece que ninguém se incomoda de saber de tanto sofrimento e tardar a ajuda.
Gostei do seu desabafo, creio que todos concordamos com a palavras descritas com sensibilidade p'lo Poeta.

Um abraço
tudo bom