Poemas : 

Viver na medida do tempo

 
Open in new window

O branco dos meus cabelos
Não é a pinta dum fingidor,
É valor do tempo vivido
À contar muralhas e castelos

Vivi na medida do tempo,
E tantos marmelos suguei,
Pra ter cabelos do rei.
Nunca fui amigo do destempo

Anos não passaram vazios,
Sempre labutei,
Em poucos bancos me sentei.
Orgulham-me, meus cabelos brancos

Se de cabelos brancos
Se conta a idade,
Tenho mil anos de maturidade
E labutei em todos os flancos da vida

Adelino Gomes-nhaca


Adelino Gomes

 
Autor
Upanhaca
Autor
 
Texto
Data
Leituras
290
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
11 pontos
1
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Upanhaca
Publicado: 17/04/2024 09:51  Atualizado: 17/04/2024 09:51
Usuário desde: 21/01/2015
Localidade: Lisboa/loures
Mensagens: 8354
 Re: Viver na medida do tempo
Viver na rota do tempo,
É sábia forma
De de fazer valer o tempo,
Enquanto o tempo
Vai a tempo.