Poemas -> Sociais : 

Riacho

 
Tags:  poesia  
 
Olho para a minha aldeia
E a minha alma se aperreia,
Ao ver quem mais semeia
Sem pé, sem meia,
Na dor...
Nadando no que sobrou do riacho opressor,
Que arrasta tudo numa grande covardia.
Mas as abelhas me disseram que um dia
A gente entende que o riacho apronta,
E a gente é quem paga a conta.


 
Autor
magnoerreiraal
 
Texto
Data
Leituras
71
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
0
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.