Poemas : 

Versos sem pronúncia

 
 
O tempo tem seus segredos e suas tramas
Ele tira uma lição guardada em nosso bolso
Ensina que o inverso da solidão não é a fama
E lentamente a boca é trocada pelo que ouço

Hoje já não me interesso mais em ser um cantor
O que me atrai é sentar no meu escuro um ou três
Shots de absoluta Belvedere e ser apenas compositor
Ficar comigo mesmo com meu egoísmo e mesquinhez

Noite após noite vou purgando o que antes era vitrine
Já não quero tanto falar e consigo ouvir cada minúcia
Da canção quando me calo e deixo que a nota ilumine
Meu coração e assim nasce um verso sem pronúncia

Trago os versos mas quem fala é a canção
Enquanto isso “Vienna” espera por mim

Deus abençoe o que a vida nos ensina
Carlos Correa


 
Autor
CarlosCorrea
 
Texto
Data
Leituras
83
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
0
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.