Poemas : 

LEMBRO QUE O SOL ERAS TU

 
Tags:  mar    sol    tu    lembrar  
 
não esqueço aquele cruzamento
quando colidimos de frente
e depois fomos à boleia duma estrada
lembro de todas as horas dos minutos e dos segundos
a caminharmos descalços
e a cada passada cada vez mais nus
lembro dos olhos que olhavam
a despir-se em cada sorriso
lembro de todas as pontes
de dedos entrelaçados
lembro de todas as árvores
de ramos de braços envoltos
dos rios com sabor a àgua doce
a correr pelas bocas
Lembro até dos pássaros a cantar os sonhos
e lembro mais ainda do mar
e de nós
fechados num espaço de infinito
onde tudo nos cabia num beijo
onde às mãos cabiam sedas e tonturas
onde nos braços cabíamos inteiros
e inteiros cabíamos um no outro
e o mar lá, cabido em nós
e nós a encher o mar ali ao pé
a um punhado de distância
com o mar de sal refinado que nos brilhava
lembro que adormecemos por ali
já a noite era quente, quente...
lembro de acordar numa voz de sussurro
entre os fios de cabelo em cascata
a esconder um beijo
lembro de um quarto só janela aberta para o sol
e lembro de olhar-te nos olhos
e ver um poema
onde sol eras tu!



13-04-2024


 
Autor
AlexandreCosta
 
Texto
Data
Leituras
213
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
11 pontos
1
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 17/05/2024 22:23  Atualizado: 17/05/2024 22:23
Membro de honra
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 18319
 Re: LEMBRO QUE O SOL ERAS TU
Que coisa mais linda de se ler. Bjs