Poemas -> Desilusão : 

Em cada despedida

 
Nos olhos marejados de esperança,
Brilha o reflexo de um sonho findo,
No peito, a amarga lembrança,
Desse amor que não é mais bem-vindo.

Triste, sigo pela estrada solitária,
Com o coração partido, mas resiliente,
Aceitando que a vida é transitória,
E que todo amor um dia se torna ausente.

Ainda que a dor seja pungente,
E o vazio ecoe em cada despedida,
Há sempre um renascer, persistente,
Pois a alma, mesmo ferida, é vivida.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

 
Autor
Odairjsilva
 
Texto
Data
Leituras
218
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.