Poemas : 

Forasteiro

 
 
Quando chega a noite e as portas se fecham
Ouço o ranger da madeira passos vem e vão
Às vezes acho alguns não sabem que se foram
Vem em busca de algo talvez seja de compaixão

E vem aquela sensação pode ser paixão euforia
Há noites que me sinto assim longe entorpecido
Me vejo pelos corredores sozinho sem companhia
Escrevendo pelas paredes frias versos sem sentido

Imagino quantos lutam vencidos contra a correnteza
E lembro que ontem deveria ser eu caído no tabuleiro
De xadrez cansado com meu corpo corroído pela tristeza
Me tornei o que sou agora mas ainda sou um forasteiro

E sempre que me chamam venho e espero a porta abrir
Um preço baixo para um peão que sonhou ao ver a dama
Troquei as paredes frias pelo teclado tentando suprimir
As culpas que me acompanham nessa minha cruzada insana

Deus abençoe as passagens que se abrem
Carlos Correa


 
Autor
CarlosCorrea
 
Texto
Data
Leituras
101
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
2
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Susi*
Publicado: 18/06/2024 20:43  Atualizado: 18/06/2024 20:43
Membro de honra
Usuário desde: 26/11/2017
Localidade:
Mensagens: 138
 Re: Forasteiro
Olá Carlos,
Sempre sinto a profundeza dos versos e ouvir a música que os acompanham deixam a imaginação voar longe...
Muito bom ler-te ou melhor, ler suas poesias.
Obrigada
Um abraço