https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Introspecção : 

As pessoas são estranhas...

 
 

Nas horas que me sobram
Dos dias que me fogem
Procuro o que me escapa
Nas entrelinhas do que escrevo...

São pequenos detalhes
Das coisas que não vejo
Mas que pressinto...
Estão lá
Em cada vírgula que não meto
Em cada ponto final que não uso
Até nas interrogações que por vezes me faço
Nas afirmações que admito
E nas reticências que me denunciam...

É este o meu livro
De matéria virtual
Que escrevo em tela negra
Sem festa nem pompa...
À mercê de um qualquer vírus
Que o apague dos registos
Ou o leve sem destino...

Não me importo
Escreverei outro
Tenho tempo...

Até que alguém se lembre
De me obrigar a parar!...

As pessoas são estranhas...

Open in new window


*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca

 
Autor
cleo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
4014
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
2
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Vera Sousa
Publicado: 27/05/2008 12:05  Atualizado: 27/05/2008 12:05
Membro de honra
Usuário desde: 04/10/2006
Localidade: Amadora
Mensagens: 4100
 Re: As pessoas são estranhas...
Cleo adoro este poema. Já li, reli e encontro-me tanto nele. É tão verdadeiro e tão belo!

Somos mesmo estranhos...

Beijo grande

e dia feliz linda

Enviado por Tópico
juvepp
Publicado: 27/05/2008 21:14  Atualizado: 27/05/2008 21:14
Colaborador
Usuário desde: 13/04/2007
Localidade: Machico - Madeira
Mensagens: 547
 Re: As pessoas são estranhas...
Olá cléo,
Li o poema magnífico como sempre no qual um sujeito poético se retrata e reflecte as razões, os porquês e os modos como escreve. Achei tudo tão lógico, tão coerente e tão genial. Mas eis que findo a leitura do poema e deparo-me com a seguinte questão: o porquê de alguém obrigar outro a parar de escrever, em transformar, situações, momentos, factos e circunstâncias em textos que fazem o leitor sentir-se em consonância com um poeta. Fica bem e que ninguém se lembre de tamanha aberração. Beijinhos