Poemas -> Amor : 

Guilherme

 
Durante o tempo
Que te compus em Sinfonia
Imaginei teus olhos, tua boca
Como seria abraçar-te
Pela primeira vez.
E ao contemplar-te agora,
Ao tocar teu queixo pequenino,
Teu narizinho,
Sou invadida pelo sentimento
Impotente
De não poder evitar
Que a vida te marque,
Que afogue e que rasgue,
A inocência do teu semblante.
Descobri ser toda medo
E todos os dias dizê-lo
Para dentro de mim
Será que vou estar
Sempre aqui?
Assim?
Presente para te salvar
Do mar revolto e fero
Lamento erros
Que ainda não cometi
Desculpa Filho
Se algum dia direi
Não te Compreendi!


Open in new window

 
Autor
Maroska
Autor
 
Texto
Data
Leituras
986
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
nunorita
Publicado: 09/03/2007 16:02  Atualizado: 09/03/2007 16:02
Membro de honra
Usuário desde: 06/03/2007
Localidade: Lisboa, Cidade da branca Luz...
Mensagens: 251
 Re: Guilherme
Como te compreendo.
Senti o mesmo quando a minha mulher estava grávida do meu filho.
Sentimos uma grande responsbilidade e um medo por colocar no mundo um novo ser.
Gostei das tuas palavras. Captaste bem estas sensações.